O dia em que a seleção inglesa de futebol fez a saudação nazista

Em 30 de setembro de 1938, o primeiro-ministro britânico Neville Chamberlain chegava no aeródromo de Heston após uma conferência com Adolf Hitler e outros líderes europeus, realizada em Munique. Erguendo a recém-assinada Declaração Anglo-Alemã para a multidão ver, Chamberlain declarou que havia garantido "a paz para o nosso tempo".

As reuniões resultaram no Acordo de Munique, que permitiu e legitimou a anexação de partes da Tchecoslováquia pela Alemanha nazista; Chamberlain também havia concordado em um pacto de não agressão com o ditador alemão.

É claro que as ambições territoriais de Hitler não poderiam ser apaziguadas e menos de um ano depois da conferência, estouraria a Segunda Guerra Mundial. A fracassada política de conciliação manchou o legado de Chamberlain, mas ele não estava sozinho em aceitar as demandas da Alemanha nazista.

Quatro meses antes da infame declaração de paz de Chamberlain, em 14 de maio de 1938, a seleção de futebol inglesa jogou na Alemanha diante de 110.000 espectadores no Olympiastadion, em Berlim. A partida era a abertura da turnê inglesa pela Europa e foi marcada por uma poderosa declaração política.

england nazi salute

Nazistas do alto escalão, como Hermann Goering, Rudolf Hess e Joseph Goebbels, estavam presentes, embora o próprio Hitler não comparecesse ao estádio. Quando o hino nacional alemão foi tocado antes do jogo, os jogadores da Inglaterra levantaram os braços e fizeram a saudação nazista "Heil Hitler". Sete décadas depois - e com pleno conhecimento do que se desdobraria sob o regime nazista - a cena é chocante.

Na época, como agora, o futebol e a política estavam inextricavelmente ligados. Os jogadores ingleses foram instruídos antes do jogo a fazer a saudação, e tal ordem viera do Ministério das Relações Exteriores da Inglaterra .

Mais tarde, soube-se que a equipe inicialmente se recusara a obedecer, cedendo apenas quando o embaixador britânico na Alemanha, Sir Neville Henderson, interveio. Usando o secretário da Associação inglesa de Futebol, Stanley Rous (mais tarde presidente da FIFA) como intermediário, Henderson aconselhou à equipe que fizesse a saudação em nome das boas relações anglo-alemãs.

É claro que precisamos colocar o gesto dos ingleses no contexto histórico. Os jogadores agiram sob instruções de um oficial do governo inglês; eles não apoiavam espontânea ou independentemente o nazismo, uma doutrina da qual dificilmente soubessem muito. Em 1938, tal como hoje, os futebolistas não eram exatamente versados ​​em política internacional.

Além do mais, a saudação carrega um peso consideravelmente mais negativo hoje do que em 1938. Na época, o gesto estava apenas associado a uma potência estrangeira agressiva, enquanto que atualmente, ele está diretamente ligado aos piores horrores do nazismo - particularmente o assassinato sistemático de mais de 10 milhões de judeus, eslavos, homossexuais, pessoas com deficiência e outros considerados indesejáveis ​​pelo regime nazista.

Também é importante lembrar que o nazismo não era totalmente condenado na sociedade britânica da época, particularmente entre as classes altas. O Daily Mail e seu dono, lorde Rothermere, apoiaram abertamente o regime nazista; o duque de Windsor era conhecido por ser simpatizante dos nazistas (em 2015 ele foi mostrado em um filme de família fazendo a saudação com sua sobrinha, agora rainha Elizabeth II); e muitos ingleses da aristocracia se aproximaram dos líderes nazistas, como as irmãs Mitford, Diana e Unity.

Nada disso, é claro, torna menos chocante ver os jogadores ingleses fazendo a saudação nazista. Mas o contexto histórico é importante para entender esse fato desagradável do passado do futebol bretão.

- Veja o vídeo dos jogadores ingleses fazendo a saudação
- A história da inglesinha que amava Hitler

O dia em que a seleção inglesa de futebol fez a saudação nazista O dia em que a seleção inglesa de futebol fez a saudação nazista Reviewed by Bento Santiago on junho 16, 2018 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.