Abdul Karim - o muçulmano que conquistou a Rainha Vitória

A monarquia britânica tem a fama de ser melhor do que a KGB em encobrir seus escândalos e destruir as provas de tais. Mas onde há segredos, há detetives à espreita (especialmente quando se trata dos assuntos da família real).

Os filhos da rainha Vitória fizeram o melhor que puderam para manter o sigilo da vida particular da matriarca, especialmente o relacionamento que ela manteve com um criado indiano chamado Abdul Karim.

Todos os registros do jovem “munshi” (professor) de Vitória, como ela o chamava, foram supostamente destruídos pelos parentes da monarca, mas a descoberta do diário perdido de Abdul em 2010 revelou uma relação complexa, sugerindo que os dois eram mais do que simples amigos.

Será que a rainha, 40 anos mais velha, tinha uma paixão não tão secreta por seu servo ou essa relação era uma maneira inocente de ela preencher o vazio da solidão?

Karim e vitória

Para o Jubileu de Ouro da Rainha Vitória, 50 reis e rainhas foram convidados por ocasião de seu quinquagésimo aniversário no trono. Dois dos monarcas presentes eram príncipes indianos e a rainha pediu especificamente dois garçons de origem indiana para atendê-los.

Um dos garçons, Abdul Karim, imediatamente encantou Vitória e, nos anos que se seguiram, ele deixou de ser seu serviçal para se tornar um influente conselheiro da rainha - e um motivo de escândalo na corte britânica.

Abdul tinha apenas 24 anos quando chegou à Inglaterra, mas seu baixo nível de vida no país não o satisfazia e ele pretendia voltar para casa, até conhecer a Imperatriz da Índia, a rainha Vitória.

Imprenssionada pelo jovem indiano, Vitória o promoveu a seu professor da língua urdu. Abdul apresentou-lhe o sistema de escrita em urdu e até mesmo um narguilé que seu pai fumava no palácio. A rainha Vitória aos poucos se tranformava numa entusiasta da cultura indiana.

karim_abdul_rainha_vitória

O relacionamento dos dois logo foi questionado. Abdul era muçulmano e serviçal, no entanto, estava mais próximo da rainha do que qualquer outra pessoa em seu círculo imediato.

Quarenta anos mais velha do que Abdul, a rainha o levava em todas as suas viagens e o tratava como um companheiro próximo. Todos pensavam que ela tinha perdido a razão, ou pelo menos, tentavam insinuar que a monarca não era mais senhora da sua lucidez. Vitória, contudo, continuou a defender o seu protegido, até mesmo dando-lhe uma generosa concessão de terras na Índia.

Os dois puseram mais lenha da fogueira, passando uma noite juntos em uma das cabanas da rainha, onde ela só havia ficado com o príncipe Albert. Embora um relacionamento romântico seja considerado improvável pela maioria dos historiadores, os dois certamente tinham um vínculo especial. Abdul preenchia o vazio masculino na vida da rainha, entretendo-a e ensinando-a.

Graças ao desprezo da família real, os registros de correspondência entre Vitória e Abdul foram quase queinteiramente destruídos após a morte da rainha.

Nas anotações pessoais da rainha, as palavras “Abdul ensinou a rainha” foram escritas na caligrafia urdu. Ela também aprendera a escrever: “Você vai sentir muita falta do munshi” e “Segure-me forte”. Ela também assinou suas cartas em urdu como: "Querida mãe". Contudo, o verdadeiro contexto dessas frases afetuosas está perdido para sempre nas sombras da história.


Leia também: A famosa fotografia dos noves reis
Abdul Karim - o muçulmano que conquistou a Rainha Vitória Abdul Karim - o muçulmano que conquistou a Rainha Vitória Reviewed by Bento Santiago on junho 22, 2018 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.