Durante anos, Rachel Sussman viajou pelo mundo em busca dos seres vivos mais antigos da Terra, em um grande projeto artístico que uniu ciência e fotografia. Os organismos  para serem fotografados por Rachel,  tinham que cumprir  dois requisitos: ter mais de 2.000 anos, um número definido por ela, e, obviamente, precisavam estar vivos.

Um exemplo: para fotografar a planta Azorella compacta, de  3000 anos de idade, Rachel  viajou para a Cordilheira dos Andes, a Azorella compacta,  que é  parente da salsa, é um arbusto semelhante a um musgo, ele é  capaz de viver sob pedras a 5000 metros de altura, no deserto mais seco do planeta, o Deserto do Atacama.

Azorella
Entre os organismos fotografados por Rachel  está também a Welwitschia mirabilis, de 2000 anos de idade, uma das plantas mais raras do mundo. Ela só tem 2 folhas, que são o maiores no reino vegetal, e  que crescem continuamente, ou seja, não param de crescer durante toda a vida da planta. Essas folhas absorvem a  água do orvalho  durante a noite, no deserto de Namibe, em Angola.

Welwitschia mirabilis
Os dois exemplos acima são apenas um aperitivo para a interessante palestra TED de Rachel Sussman: Os mais antigos seres vivos do mundo!

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem